ACADEF: 33 anos funcionando como referência na América Latina

acadef (4)

Direção, autoridades, funcionários e usuários da ACADEF cantam os parabéns à entidade

Marcelo Grisa

Neste sábado, dia 20 de maio, a Associação Canoense de Deficientes Físicos (Acadef) completa 33 anos de existência. A entidade, que surgiu como um esforço de vários cadeirantes, incluindo seu fundador, Jorge Cardoso, hoje é referência no Estado e no Brasil. São 19.550 beneficiários, sendo 21,65% pessoas com deficiência e 42,31% em situação econômica de até um salário mínimo.
Além dos diversos convênios nas áreas de saúde, educação e assistência social com órgãos do poder público, a Acadef oferece à comunidade de 23 cidades diversos serviços. Além de Canoas, a área de abrangência da instituição inclui o Vale dos Sinos e o Vale do Paranhana.

A serviço dos que mais precisam

Na área social, a Acadef não somente orienta no sentido das garantias individuais das quais pessoas com deficiências dispõem, como o passe livre em ônibus e trens, como também qualifica para o mercado de trabalho através de cursos especiais voltados para esse público.
Na área médica, a instituição tem papel atuante na avaliação e concessão de cadeiras de roda e próteses. Essas últimas são feitas ali mesmo, utilizando tecnologia e materiais importados da Alemanha para oferecer qualidade aos usuários. Há também consultas para diversas especialidades médicas, como Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional.

Homenagens e reconhecimento

Em meio à programação do aniversário da Acadef, a entidade reuniu autoridades e políticos que, segundo a direção, auxiliaram e auxiliam na garantia de atendimento a milhares de pessoas todos os meses.
Primeiramente, a presidente da instituição, Patrícia Conceição, agradeceu o apoio de instâncias como a Câmara de Vereadores de Canoas para o estabelecimento e a continuidade do trabalho realizado. “Somos gratos pelo que isso nos trouxe, com o reconhecimento da cidade, do Estado e do Brasil”, alegrou-se.
Segundo o deputado estadual Nelsinho Metalúrgico, a Acadef é a referência mais lembrada pela Assembleia nesse sentido. “Canoas tem que ter orgulho da Acadef, ela que merece a confiança do poder público e das pessoas”, apontou.

Para o vereador Santana, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores de Canoas, o trabalho da Acadef merece ser ainda mais prestigiado. “Muito se sabe apenas por ouvir falar, mas precisamos vir mais aqui e ver como vocês resolvem problemas – alguns até do município”, afirmou.

Para o futuro

O último projeto de Jorge Cardoso em vida ainda não foi concluído: um novo prédio para ampliar o atendimento em 30%. Além disso, é necessário um esforço cada vez maior, face à crise, para manter uma instituição do tamanho da Acadef. “Acham que com tudo pronto está ok, mas é agora que precisamos mais do apoio de todos, para manter o que já temos”, admite o coordenador operacional, Ricardo Cardoso. Estão previstas iniciativas de campanha para arrecadar mais recursos de forma constante para a instituição a partir deste ano.

acadef (3)

A produção de próteses e órteses distribuídas para aqueles que não podem pagar é feita dentro da própria Associação

 

acadef (1)

A presidente da ACADEF, Patrícia Conceição, fala sobre a importância do trabalho para as pessoas com deficiência

acadef (2)

Dentre as atividades oferecidas, está uma oficina de pintura para os que têm dificuldades motoras