Ação Santa Isabel completa 57 anos de serviços prestados à comunidade

MARCELO GRISA*

Na última quinta-feira, dia 2 de agosto, a Ação Social Santa Isabel completou 57 anos de existência. A comemoração ocorreu no plenário da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre.

Em Grande Expediente organizado pelo deputado Gilmar Sossella (PDT), o principal homenageado foi Everton Alfonsin, conhecido como Caco, que preside a Ação Social desde 2011. A sessão foi presidida pelo deputado canoense Nelsinho Metalúrgico (PT), que estava acompanhado da prefeita em exercício de Canoas, Gisele Uequed (Rede). Também estiveram presentes representantes de associações de delegados.

De acordo com o deputado Sossella, a função da homenagem é a de fazer com que iniciativas como a Ação Social Santa Isabel multipliquem-se pelo Estado. “Ninguém leva nada de patrimônio nesta vida. Então, que a gente possa fazer com que investimentos como esses sejam replicados em favor do idoso, do adolescente e de todos que assim necessitam.”

A entidade assistencial foi fundada por Filomena Meirelles, esposa do patrono da imprensa canoense, Nemésio Meirelles. A Ação Social começou em um espaço da Igreja Matriz de Canoas, a paróquia São Luiz Gonzaga, dando cursos gratuitos para pessoas carentes. Além disso, desde então, o grupo realiza iniciativas de distribuição de alimentos, amamentação, encaminhamentos para emprego, visitas domiciliares e atendimento na área da saúde.

O atendimento multidisciplinar da Santa Isabel chega a mais de 50 idosos com a manutenção do Lar São José, localizado no bairro Nossa Senhora das Graças. Além deles, mais recentemente, 26 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade no Abrigo Raio de Sol, no bairro Marechal Rondon, têm sua situação monitorada pela Ação Social.

Nos últimos anos, a evolução da Santa Isabel, tanto na manutenção do lar para idosos quanto na gestão do abrigo para menores, procurou modernizar estruturas. Além de adaptação e mudanças de sedes, o atendimento individual procura manter espaços e pertences com o nome de cada pessoa atendida. De acordo com a entidade, a medida tem como principal motivação fortalecer a identidade dos assistidos em momentos de vulnerabilidade social.

Além de Sossella e Nelsinho, também falaram os deputados estaduais Jeferson Fernandes (PT) e Ronaldo Santini (PTB). Fernandes, que é presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia, ressaltou os aspectos positivos do tratamento dispensado a menores e idosos nos dois centros, ambos visitados por ele nos últimos meses. Santini, por sua vez, lembrou do merecimento da Medalha da 54ª Legislatura a Everton Alfonsin, que foi entregue a ele ao final do evento.

Caco, que é empresário do ramo de treinamentos e também acumula a presidência da Federação Afro-Umbandista e Espiritualista do Rio Grande do Sul (FAUERS), acredita que essa deve ser uma comemoração não apenas para a Santa Isabel, mas para toda a cidade de Canoas. “Eu sou apenas uma sementinha. Os parabéns não são para mim, mas principalmente para a dona Filomena, que criou tudo isso, e pros 110 colaboradores que hoje temos fazendo parte deste grande time.”

Uma história de superação

Everton Alfonsin, mais conhecido pelo apelido que teve a vida inteira, Caco, é alguém que busca impedir que aconteça com outras pessoas o mesmo que ocorreu em sua vida. Morou na rua dos dez aos 16 anos, sendo acolhido por uma família antes de completar a maioridade. Começou distribuindo 30 brinquedos a crianças carentes no Natal, e hoje coordena duas entidades assistenciais.