Canoenses cobram mais ônibus novos

O sistema de transporte coletivo, essencial para a população de qualquer cidade, precisa atender às demandas específicas de cada localidade e, sem dúvidas, prestar um bom atendimento ao cidadão. Em Canoas, a reportagem do jornal Timoneiro foi até as paradas de ônibus para questionar os usuários sobre a atual situação da frota de ônibus e qualidade da estrutura disponibilizada.

Cobranças

Para Tatiane Machado, 26 anos, o valor da passagem praticado na cidade, de R$ 3,75, está muito alto. Ela também cobra mais circulação de ônibus, já que, no momento em que conversava com a reportagem, fazia mais de meia hora que estava esperando. Sobre a estrutura dos veículos, Tatiane afirma que nem todos os serviços prometidos funcionam: “O ar-condicionado dos ônibus novos até funcionam, mas a internet não, e eu sempre preciso utilizar”. Esta questão também é abordada por

Cleonice Loureiro, 35 anos. Ela acha que o preço passagem é justo, mas que o wi-fi não funciona. Ela ainda cobra mais ônibus novos rodando: “é um milagre quando aparece um”. Outro problema, de acordo com Cleonice, é que na São Nicolau os ônibus encerram os serviços muito cedo. “Nos finais de semana, às 21h30min já não tem mais nenhum e ficamos isolados”, afirma.

Renovação

Sidnei Pozzera, 53 anos, acha que o transporte de Canoas é regular: “Os ônibus novos são ótimos. Tudo funciona bem e, para andar nele, o preço da passagem está de acordo”. Mesmo assim, ele cobra que toda a frota seja renovada: “O que falta é trocar toda a frota para este modelo, senão não adianta”. Zeni Ritter, 75 anos, não tem reclamações sobre a frota ou sobre a tarifa. Para ela, “os motoristas são muito educados e a estrutura é boa”. Mesmo assim, ela pede atenção para outro problema: “quando estou na parada, eles param sempre longe e temos que andar para pegá-los”.