Canoenses cobram solução da Corsan para cheiro de esgoto nas ruas


Os problemas dos canoenses com a Corsan são históricos. A qualidade questionável dos serviços prestados pela concessionária responsável pelo abastecimento de água e pelo esgoto impacta a vida dos moradores de Canoas nos mais diversos âmbitos. A mais recente reclamação da população está ligado ao mau cheiro que sai dos bueiros em toda a cidade. As reclamações de pessoas que moram em diferentes bairros têm chegado diariamente no jornal Timoneiro.

Maria Almeida, moradora do bairro Marechal Rondon, pontua que o problema é antigo, uma vez que há anos em dias mais quentes, especialmente no verão ou em épocas próximas a ele, os canoenses sofreram com isso. “A Corsan não resolve isso nunca. É triste, mas as pessoas já comentam há anos que esse cheiro é natural em Canoas. Não pode ser natural uma coisa dessas, não é agradável e nem faz bem para a saúde de ninguém sentir esse fedor diariamente”, afirma.

Perguntada sobre a situação por nossa equipe, a Corsan respondeu: “Essa situação ocorre porque muitos moradores utilizam a rede pluvial para destinar seus esgotos sanitários, mesmo nos locais onde há rede de esgotos sanitários da Corsan. Por este motivo o esgoto cloacal se acumula dentro do sistema pluvial e começa o processo de decomposição, que emite odores. Para universalizar o atendimento com redes e tratamento de esgotos, a Corsan está propondo ao município uma Parceria Público-Privada, possibilitando que 87% da área urbana passe a contar com esse serviço. Os investimentos previstos são na ordem de R$ 2,3 bilhões”.

Embora o problema em evidência atualmente seja o odor que emana dos bueiros, vale pontuar que os canoenses têm reclamado com frequência de outros transtornos causados pela Corsan. Um deles é a qualidade da água, que em diversos períodos neste ano apresentou cor, cheiro e sabor, contrariando o que se espera de um líquido potável. Outro é a má qualidade dos consertos que a companhia faz no asfalto após concluir suas obras.