Entrevista: Judoca Maria Portela

Judoca Maria Portela. Foto: divulgação

Judoca Maria Portela. Foto: divulgação

A Hora do Esporte traz uma conversa com a atleta brasileira Maria Portela, que pratica judô desde os nove anos e representa o clube Sogipa. Maria participou das Olimpíadas de Londres e das Olimpíadas do Rio 2016.

OT: Nas Olimpíadas Rio 2016, qual foi a sensação de estar no coração do país, no maior evento esportivo do mundo, fazendo o seu esporte?

Maria: Me senti uma pessoa muito privilegiada por ter tido essa oportunidade de me classificar e representar o Brasil. Não sei quando e se vai ter uma próxima olimpíada aqui no Brasil, então me sinto muito orgulhosa por ter conseguido.

OT: Quando foi o primeiro contato com a natação? E, quando tu decidiste treinar para as Olimpíadas?

Maria: Comecei com nove anos em um projeto social, no interior do RS, em Santa Maria. Quando eu tinha 17 anos decidi que o judô seria minha profissão e que eu iria treinar pra vida toda. Com 19 anos, eu larguei tudo e fui pra SP, longe de todo mundo, em busca disso. Em 2007, entrei pra seleção brasileira.

OT: E a tua evolução, foi a esperada?

Maria: Tive a oportunidade de trabalhar vários fatores que deixei de trabalhar quando classifiquei pra Londres; estava mais madura, me senti em condições de brigar por medalha. Fui eliminada na segunda rodada pela atleta da Áustria, por uma punição bem questionada, mas aceitei e estou me preparando para próximas competições. Acredito que evolui, mas também sei que tem fatores que a gente não controla na luta.

OT: Que medidas devem ser tomadas para que o Brasil amplie seu quadro de atletas com chance de classificação para as próximas Olimpíadas?

Maria: É preciso incentivar mais no desenvolvimento dos atletas. Por falta de incentivo, muitos atletas se perdem no caminho e não conseguem seguir adiante; eu senti isso. Se incentivassem mais esses projetos, estaríamos mais preparados no momento das Olimpíadas e melhoraríamos o quadro de medalhas.