Felipe Martini avalia contexto pós-eleitoral

Candidato a deputado estadual nas últimas eleições pelo PSDB, Felipe Martini visitou a redação do jornal Timoneiro, na terça-feira, 20. Com 11.975 votos, Martini não se elegeu, mas avalia como positiva sua trajetória, já que colaborou com a vitória de Eduardo Leite, do mesmo partido, no governo do Estado. O empresário e ex-secretário de Desenvolvimento Econômico de Canoas concedeu entrevista onde comenta o atual contexto pós-eleições e sobre o futuro de sua atuação política.

Participação

Martini destaca que tem participado da política em diversos aspectos, não apenas como candidato nas últimas eleições. Ele considera sua contribuição no pleito como satisfatória, e atribui o desempenho de sua sigla ao contexto de renovação política nacional, com a ascensão do PSL e candidatos vinculados à imagem de Jair Bolsonaro. “Trabalhei muito nos últimos meses. Acredito muito no que faço”, comenta Martini. Ele ainda cita que está repensando sua participação na política partidária e retomando as atividades na iniciativa privada. Mesmo assim, confirma que há convites e não descarta eventuais participações no governo municipal ou estadual.

Canoas

Questionado sobre a organização do PSDB em Canoas, Martini afirma que o foco será eleger vereadores na próxima eleição, além de continuar o trabalho de reestruturação do partido. “Nossa proposta é fazer uma nova política, já que há muito fisiologismo e ‘toma lá dá cá’ no sistema atual. Nossa política é honrada, transparente e responsável”, afirma. Segundo ele, até o final do ano serão definidos os objetivos mais específicos do partido a nível municipal.

Vitória

Em um contexto nacional, as eleições de 2018 representaram uma derrota geral para o PSDB. No Rio Grande do Sul essa lógica foi diferente, com uma vitória significativa. Para Martini, isso passa pela postura adotada pelo diretório estadual e pela figura de Eduardo Leite: “Ele vêm com uma proposta de abertura ao diálogo, tem protagonismo e um amplo apoio de Pelotas nas eleições”. Segundo ele, o PSDB do Rio Grande do Sul sempre manteve sua posição clara, por exemplo, se manifestando a favor do afastamento de Aécio Neves, quando ocorreu o escândalo relacionado ao agora deputado eleito.