Gracinha segue com a força da solidariedade em aniversário

Marcelo Grisa

No último dia 29 de junho, o Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), o popular Gracinha, completa 55 anos de existência. Pela quarta vez, a instituição organiza, juntamente com o apoio do Canoas Tênis Clube e empresas patrocinadoras, um jantar beneficente para a realização de melhorias na casa de saúde.

O evento corre nesta sexta-feira, dia 7 de julho, às 20h30min, no Clube Fênix (Av. Santos Ferreira, nº 5151). Os ingressos custam R$ 100, podendo ser adquiridos na hora. Haverá também o sorteio de camisetas de Inter e Grêmio, doadas para o HNSG com a assinatura dos respectivos times titulares.

Mais alimento, menos custo

O objetivo da festa é custear, em 2017, a instalação de uma câmara fria na cozinha do HNSG. De acordo com o supervisor de Nutrição do Gracinha, Francisco Leal Kobielski, o objetivo é não somente evitar a perda de alimentos por conta do estado precário dos equipamentos atuais. Para o gestor, o mais importante é que este é um investimento que gera grande economia ao hospital, que já viu dias melhores em sua realidade financeira. “Não temos como realizar dentro do orçamento, mas é algo que se paga, de acordo com os nossos estudos, em cerca de três anos”, explica.

O levantamento feito pelo HNSG estima o custo de compra da câmara fria, bem como instalação e adaptação das dependências da cozinha, em cerca de R$ 35 mil. Haveria mais um curto com as prateleiras de inox dentro da câmara, que já estão garantidas como doação de um empresário canoense.

Hortifrutis ao ar livre

A mudança também resolveria os atuais problemas de armazenamento e desperdício de alimentos no Gracinha, que hoje serve entre 1500 a 2000 refeições por dia aos seus pacientes. De acordo com Francisco Kobielski, os problemas são maiores no verão, quando o calor dificulta a conservação de hortifrutigranjeiros. “Hoje eles acabam ficando num depósito que tem aberturas em cima, o que acaba trazendo baratas e outros insetos”, admite.

Mesmo no inverno, os aparelhos mais antigos não conseguem gelar a menos de 11 graus Celsius, o que é insuficiente para carnes e outros produtos. Estes precisam ser mantidos em freezers, e passarem todos os dias por um processo de degelo – este mais lento no inverno. “Não sabemos a idade exata destes equipamentos, mas é algo que no mínimo tem 25 anos. A fabricante já fechou há pelo menos 20”, afirma Kobielski.

Ações grandes e pequenas

Além da câmara fria, há outras formas pelas quais os canoenses podem ajudar a cozinha do Gracinha. “Equipamentos mais simples, como espremedores e liquidificadores, estragam rápido por serem muito utilizados o dia todo”, argumenta o supervisor. Aceitam-se também doações de talheres – estes precisam ser inteiramente de inox, para adequarem-se às condições sanitárias hospitalares.
Além da festa deste ano, outras melhorias foram feitas com as festas de outros anos.

Em 2012, no aniversário de 50 anos do HNSG, foram instalados equipamentos de ar condicionado para pacientes do SUS. De acordo com a analista de relacionamento do Gracinha e uma das organizadoras do evento, Zulma Osório Ribeiro, ainda em 2014, foram adquiridas camas hospitalares. Em 2016, foi a vez da construção da rampa de acesso ao hospital para cadeirantes.