Guajuviras completa 31 anos de história e crescimento

Monique Mendes*

A história de 31 anos do Guajuviras está atrelada a centenas de histórias dos seus moradores. Basta circular pelas ruas do bairro para escutar diversos relatos emocionados e lembranças de tempos difíceis da época da ocupação que iniciou em 17 de abril de 1987.

A agente de ação social, Maria de Lurdes Covatti, 58 anos, está entre os moradores que fizeram parte daquele momento e lutaram por seu espaço de terra. “Não tínhamos nada, nem luz, nem água, nem encanamento. E quando se buscava emprego fora daqui a gente mentia que morava em outro local, pois os moradores eram marginalizados por outras pessoas”, recorda Maria.

Ela era empregada doméstica, com três filhos e vítima de violência doméstica. Veio para o Guajuviras depois de fugir do companheiro. “Vim para cá e enfrentei tudo porque sempre acreditei que aqui as coisas seriam melhores. Eu amo morar aqui. Acabei trazendo toda minha família de Erechim: irmãos, pais e hoje tudo deu certo. Estudei depois de completar 50 anos e tenho 10 netos. Todos moram aqui”, relata emocionada.

O nome oficial do Guajuviras é Conjunto Habitacional Ildo Meneghetti, mas poucas pessoas o conhecem assim. Guajuviras é o nome oficial da ocupação. Originalmente, o bairro possuía 5.974 unidades habitacionais. Prédios no local, construídos há anos, já registravam o crescimento de vegetação no interior daquilo que nem servia mais como moradia. Carlos Loureno Giacomazzi era o prefeito, que tomou posse em 1986. Uma vida digna, uma infraestrutura mínima e a autentificação desta área foram fatores construídos entre vizinhos, com uma história de luta que até o presente conta a história da cidade.

“Guajuviras terra da gente”, dizia uma faixa na ocupação. “Casa ocupada”, dizia outra. E assim se construiu a história do maior bairro canoense com forte presença de mercados, igrejas, rádios comunitárias e a organização da sociedade civil.

Guajuviras hoje

O bairro é conhecido por ter um comércio ativo com 24h de funcionamento. Durante o dia, a Avenida 17 de Abril é a mais movimentada, local onde o comércio se concentra massivamente. Durante a noite a movimentação continua. E essa forma ativa não está apenas no comércio local. Movimentos como recrutamento de jovens para atividades sociais e esportivas e a organização social no bairro tem tido avanços.

Muitas das conquistas são alcançadas pelo trabalho e esforço de seus moradores e também pelo apoio da Subprefeitura Nordeste. “É importante que a comunidade entenda o nosso papel e saiba que estamos aqui para receber a todos e ouvi-los. Estamos sempre preocupados em encontrar soluções que visem melhorias para a comunidade”, explica o subprefeito Nordeste, Dr. Gemelson Pompeu.

O que se fez de novo no Guaju

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) já entregou a reforma do posto de saúde Guajuviras II. Também se mantém ativo os mutirões de atendimento em saúde que ocorrem nos postos e hospitais.

Sobre os focos de alagamentos da região, a subprefeitura, em parceria com a Secretaria de Serviços Urbanos (SMSU), intensificou o recolhimento dos entulhos e continua atuando na fiscalização dos infratores que descartam o lixo de forma irregular. “Um dos motivos que agravam a situação dos alagamentos é o descarte de entulhos, areia, detritos de obras nas ruas. Eles são levados para os esgotos e entopem as tubulações”, explica Pompeu. Para ele, é muito importante o auxílio da população nesta questão. A comunidade precisa estar atenta para a limpeza e organização do bairro e as denúncias devem ser feitas para que o trabalho seja cada dia mais efetivado.

Já a principal ação da Secretaria de Obras (SMO) foi a limpeza da vala principal no Guajuviras, na Rua 27 de Abril. Segundo o Secretário de Obras, Adalberto Schen, o alagamento que chegava a entrar quase um metro em supermercados e lojas, era umas das principais reclamações dos moradores do local. “Acredito que nunca havia sido feito um trabalho de limpeza ali. O resultado foi melhor que o esperado”, afirma o secretário. Ele ainda frisa que já estão ocorrendo a limpeza de valas secundárias e ações de pavimentação para melhorar a Boqueirão, que vai passar por melhorias.

“A vala da Rua Fernando Pessoa que faz divisa com o bairro Estância Velha, irá ajudar a secar uns quatro a cinco bairros. A canalização com 1,5 metros de diâmetro vai favorecer muitas pessoas”, conclui o secretário.

Outra obra a ser destacada foi a revitalização do canteiro central da principal avenida do bairro Guajuviras.  Uma força-tarefa, formada pelas secretarias de Serviços Urbanos (SMSU), Obras (SMO), Meio Ambiente (SMMA), Transportes e Mobilidade (SMTM), além da subprefeitura Nordeste realizou os serviços de capina, poda de arbustos e árvores, plantio de mudas, entre outros.

Na área da Segurança Pública, ações de operações integradas com Guarda Municipal, Brigada Militar, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil continuam ocorrendo com o objetivo de combater ao crime.