HNSG sofre com superlotação de urgência e emergência

A urgência e emergência do Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG) merece atenção imediata das autoridades municipais. O setor, de acordo com o diretor técnico da instituição, Marco Antonio Figueiró, está superlotado. Na quinta-feira, 14, uma restrição no atendimento da modalidade gerou dúvidas nas redes sociais, com relatos até de que a emergência do hospital havia sido completamente fechada.

Esclarecimento

Figueiró, em contato com a reportagem de O Timoneiro, esclareceu que o setor não foi completamente fechado, mas confirmou a restrição do serviço. “Não tínhamos condições técnicas para atender a todos. Passamos a atender apenas pacientes em situação de risco”. O profissional ainda afirma que a ação foi imediatamente comunicada à Secretaria de Saúde do município.

Normalização

De acordo com o diretor técnico, o problema foi solucionado na mesma quinta-feira. “Trabalhamos com a secretaria pra avaliar a liberação de vagas no hospital, onde pacientes foram encaminhados para outras unidades”.

Problema contínuo

Embora o serviço tenha sido normalizado na sexta-feira, 15, o problema de superlotação permanece. Segundo Marco Antonio Figueiró, a situação pode se repetir a qualquer instante: “Chega um momento em que tu não tens mais condições de atender. Algumas pessoas já chegaram a esperar atendimento em cadeiras de plástico improvisadas”, afirma. O médico ainda relata que a carência de leitos é crônica no município: “Tudo o que temos de leitos, está ocupado. Ontem tínhamos 25 pacientes em uma sala de observação esperando leitos para internação. É muita gente em um espaço pequeno, sendo que o hospital não tem mais condições físicas”, conclui.

O que diz a Prefeitura

Em nota, a Prefeitura afirma que repassa mensalmente recursos na ordem de R$ 6,5 milhões ao Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG). “O HNSG é uma instituição privada, tendo como mantenedora a Instituição ABC (Associação Beneficente Canoas). A Prefeitura, que não tem nenhuma ingerência sobre a administração do hospital, realiza o repasse rigorosamente em dia para que a instituição ofereça atendimento através do Sistema Único de Saúde aos moradores de Canoas nas mais diferentes especialidades, desde a emergência até exames e procedimentos de cirurgia. Além disso, cabe ao Poder Municipal fiscalizar os serviços oferecidos pelo Graças, como ocorreu na última semana diante de problemas enfrentados na emergência da instituição. Em resposta, o HNSG alegou que ocorreu a restrição de atendimento no setor de Urgência e Emergência em razão da superlotação no local e apenas os casos mais graves, nos quais existia risco de óbito do paciente, foram atendidos. Hoje o atendimento deste setor ocorre de forma normal”.