Justiça cassa o mandato de Paulinho de Odé

A Justiça Eleitoral julgou parcialmente procedente o pedido do Partido dos Trabalhadores de Canoas e decretou a perda do mandato eletivo do vereador Paulinho de Odé, que trocou a sigla pelo PCdoB em abril. Pela decisão, a vaga passa a ser ocupada pelo primeiro suplente do PT, Herbert Poersch, conhecido como DJ Cabeção.

O ofício comunicando a decisão do juiz eleitoral da 134ª Zona Eleitoral, Sandro Antonio da Silva, foi encaminhado à presidência da Câmara na última quarta-feira, 14. Na sessão de terça-feira, 20, DJ Cabeção, atualmente filiado ao PDT, prestou o juramento na tribuna e fez o primeiro pronunciamento como vereador. O parlamentar elogiou o trabalho desenvolvido por Odé e agradeceu aos seus eleitores pela confiança.

Em comunicado, Paulo Rogerio Ambieda, o Paulinho de Odé, falou sobre o ocorrido. “Militei no PT em torno de 30 anos. No ano passado me senti perseguido, humilhado, e acabei mudando de partido”, afirma Paulinho. Segundo ele, não se sentiu a vontade de concorrer pelo PT por não concordar com várias situações, como falta de humildade por não reconhecer erros e outras questões. “Optei pelo PCdoB e havia um compromisso para que o PT não entrasse na Justiça. Mas isso não ocorreu. Desrespeitaram o povo do axé. Não respeitaram nossa história e o PCdoB”. Paulo ainda considerou a ação “extremamente truculenta e arrogante”. Ao final do comunicado, agradeceu o apoio dos eleitores e afirma que continuará lutando e militando dentro suas temáticas.

Com a nova configuração do Legislativo canoense, o PDT passa a ocupar quatro cadeiras e o PCdoB volta a ter uma. O PT, de acordo com o diretório municipal, deverá ingressar na Justiça novamente para recuperar a sua quarta cadeira, uma vez que DJ Cabeção mudou de partido depois da diplomação. Caso obtenham nova vitória judicial, Paulo Ritter deve assumir a cadeira na Câmara.