Avanço da Gripe A no Estado preocupa população

Ao longo do mês de julho, o número de mortes por Gripe A no Estado tem aumentado de forma alarmante. Até agora, são 38 confirmações de falecimentos em decorrência do vírus, sendo um deles em Canoas. Embora a cidade ainda conte com vacinas em vários postos, elas são destinadas apenas aos chamados grupos de risco.

Vacinas disponíveis

A Prefeitura afirma que a maioria dos postos ainda conta com doses da vacina contra o vírus H1N1. Por determinação do Ministério da Saúde, os grupos prioritários e que recebem a vacina gratuitamente nas Unidades são: crianças de 6 meses a dois anos (primeira e/ou segunda dose), gestantes, idosos com mais de 60 anos, profissionais da saúde, indígenas e doentes crônicos (mediante atestado médico ou comprovação de uso contínuo de medicamento para doenças crônicas, como asma, por exemplo). Por enquanto, a cidade está no aguardo do anúncio de novas doses por parte do Ministério da Saúde e Secretaria Estadual da Saúde. As UPAs 16 horas e 24 horas são apontadas pela Prefeitura como a referência para a busca de atendimento aos sintomas da gripe: febre alta, tosse, dor no corpo, etc. A rede está abastecida com o medicamento Tamiflu, que será dispensado sempre que houver orientação médica.

Explicação na Câmara

O secretário da Saúde, Leandro Santos, e o técnico Cleber Brandão, participaram da sessão da Câmara da última terça-feira, 17, para falar sobre a vacinação contra o vírus H1N1 em Canoas. Eles atenderam convite do presidente da Casa, Dario da Silveira (PDT), para prestar informações sobre a campanha de vacinação e ações de prevenção na cidade. Santos procurou minimizar os riscos de contaminação com o vírus em Canoas. Ele assegurou que, comparado com 2009, quando houve uma pandemia, o número de casos deste ano é bastante baixo. Segundo o secretário, naquele ano, houve 238 suspeitas de infecção com H1N1, enquanto em 2012, esse número chega a 70 casos, e apenas quatro deles foram confirmados até o momento. Entre estes, ocorreu um óbito. O secretário disse, ainda, que chegam à Secretaria muitos pedidos de vacinação, mas o Município optou por seguir a política do Ministério da Saúde e vacinar apenas os grupos de risco. Também revelou que o Município recebeu 80 mil doses de vacina, mas resta apenas um estoque de reserva com 1,8 mil doses para serem usadas apenas em pacientes crônicos.

Vírus

Na mesma sessão da Câmara, o técnico Cleber Brandão apresentou dados sobre o quadro em Canoas, também minimizando a gravidade da situação. Segundo ele, no Brasil, foram confirmados, até agora, 8.230 casos, com cerca de 600 mortes, o que corresponde a 7% do total. Para ele, o número é pequeno se comparado com os 2,5 mil óbitos ocorridos em consequência de infecção com outros tipos de vírus, no mesmo período.

Brandão revelou que, no Estado, 218 casos identificados resultaram em hospitalização e 33 destes foram a óbito. Também comparou Porto Alegre com Canoas. Segundo ele, na Capital, foram confirmados 38 casos e registradas cinco mortes, enquanto em Canoas, esse número ficou em quatro casos confirmados e uma morte.

Conscientização
O técnico informou também que a Secretaria da Saúde está desenvolvendo campanha de prevenção contra o vírus através de palestras em escolas e trabalho em bares e restaurantes do município. Ele forneceu os números de dois telefones para esclarecimento de dúvidas sobre o vírus: o 3465.8508, que atende durante o horário de expediente da Secretaria, e o 9240.2518, a partir das 18 horas e finais de semana.

Ministério Público

O PSOL protocolou pedido de instauração de inquérito civil público contra a Prefeitura no Ministério Público. A intenção do partido é que o MP determine que a Prefeitura imunize a totalidade da população da cidade contra a H1N1.

Aulas

Tanto a rede municipal quanto a rede estadual optaram por não cancelar aulas neste ano. Em ambas as redes o período de férias escolares coincidiu com o período indicado como pico da gripe.
Powered by Supremo Hosting

Assine nossa newsletter