Engenheiros e arquitetos reclamam de desvalorização

Em visita a redação do OT, Jefferson Cunha, presidente da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos da Prefeitura Municipal de Canoas (AEAAPMC), juntamente com seu vice, Gilberto Bordin, relataram o descontentamento com a atual administração municipal. Sua principal reivindicação foi a adaptação por profissões dentro da Prefeitura.

Segundo eles, todos os servidores com curso superior eram nível máximo, agora, divididos entre especialistas e analistas, a gratificação faz a diferença. “Foram feitas gratificações para funcionários efetivados hoje no município, servidores, uma diferença de aproximadamente 40% em gratificação”, lembra Jefferson. A justificativa é que especialistas, como advogados, tem um valor diferente no mercado de trabalho. Dentro de um panorama, em grau de importância, primeiro vêm os médicos, depois os arquitetos, engenheiros, psicólogos e, lá embaixo, dentistas. O curioso é que todos fizeram o mesmo concurso. A diferença na gratificação é de aproximadamente R$ 3.000,00 no novo concurso. Por baixo, em uma estimativa, um analista levaria 30 anos para ganhar o que um especialista ganha em um mês, diferença que antes não havia.

O novo plano de carreira do funcionalismo, em tese, deveria ter um simulador para que os servidores pudessem projetar sua vida com e sem o novo plano, a fim de escolherem qual vão seguir daqui para frente. O prazo para decidirem é 30 de maio, mas o sistema ainda não existe. A AEAAPMC enviou quatro ofícios ao Gabinete do Prefeito, mas nenhum foi respondido. “Acreditamos que estes ofícios não chegaram ao conhecimento do Prefeito”, destaca o presidente. A associação acredita que sua responsabilidade técnica vitalícia não foi respeitada, uma vez que nem assessoria jurídica o município disponibiliza para a categoria.

Powered by Supremo Hosting

Assine nossa newsletter