Opinião: Coluna Momento Político

jorge

PIADA
A Câmara de Vereadores aprovou o projeto de alteração da Lei Orgânica municipal, modificando a ocupação do cargo de prefeito, quando este, a vice e o presidente da Câmara estiverem impedidos. Pela alteração da Lei Orgânica municipal o substituto eventual será o procurador do Município, com cargo de confiança nomeado pelo prefeito, que geralmente é seu companheiro de partido.
Para quem gosta de piada esta é a ideal, eis que a linha de raciocínio semelhante já foi anulada pelo Tribunal de Justiça no ano de 2000, quando a Câmara de Vereadores de Livramento tentou emplacar o primeiro vice-presidente da Câmara na ordem de sucessão.
A Constituição Federal e a Constituição Estadual dizem que nestes casos o substituto será o presidente do Supremo Tribunal Federal ou o presidente do Tribunal de Justiça. No caso dos municípios será o diretor do Foro da Justiça Estadual. Ninguém sabe a razão da brincadeira, praticada pelo Executivo e apoiada cegamente pela Câmara, mas parece ter o objetivo de controle da cidade nos casos dos impedimentos por um partidário, sem votos, do prefeito.
Medida judicial será implantada nos próximos dias para que Canoas não caia no ridículo da piada pretendida.

PRAZO
Termina no dia 2 de abril o prazo para os vereadores e candidatos poderem trocar de legenda.
Estão sendo feitas todas as jogadas para atrair filiados ou impedir que filiados saiam da legenda.

VITÓRIA EM PRIMEIRO TURNO
Várias pesquisas estão circulando na cidade, dizendo que: o candidato A tem 40% de preferência e o resto junto só tem 25%, o que determinaria a vitória em 1° turno. Outra pesquisa diz que: o candidato B tem 37% de preferência, e a soma dos demais apenas 24%.
Certa pesquisa diz que: o candidato C tem 38% e os demais tem apenas 21%.
Todas não merecem respeito, nenhuma tem o registro na Justiça Eleitoral, nem a possibilidade de verificação de dados (maquiados). Nem as que parecem feitas por institutos comprometidos com certos clientes, nem as divulgadas por meios de comunicação que têm régios interesses na vitória de determinadas candidaturas. Tudo é pra enganar os incautos, segurar a dissidentes ou “comprar” novos adeptos.
Se as eleições fossem hoje, com o descrédito popular, com a onda de corrupção varrendo o país, com os políticos em declínio, 80% da população não teria candidato a prefeito, nem os candidatos que prometem cargos e dinheiro para a campanha receberiam apoio. Muito menos os comprometidos com partidos que estão com as mãos sujas da Lava Jato.
PESTALOZZI
É crítica a situação administrativa e financeira do nosso querido Instituto Pestalozzi. A intervenção da Federação Nacional dos Pestalozzi ajudou muito pouco ou quase nada.
A sociedade Canoense precisa urgentemente intervir nesse assunto.
É uma vergonha para Canoas o que está acontecendo.

PSOL
Tudo indica que o partido vai decidir que Paulo César será candidato a prefeito.

PSDB
Felipe Martini será o candidato a prefeito.

REDE
Nasser Muhd confirmou sua candidatura a vereador.

GRACINHA COM BALANÇO DEFICITÁRIO
A partir de FEVEREIRO de 2015, o MUNICÍPIO de Canoas passou a administrar o Hospital Nossa Senhora das Graças, através de um TERMO DE COOPERAÇÃO, firmado com a mantenedora ABC. Agora, ao publicar o balanço de 2015, observamos a péssima GESTÃO do Município naquela casa de saúde. Alguns números: a despesa com pessoal teve um acréscimo de R$7 milhões, para uma RECEITA do SUS reduzida de R$ 7 milhões. Ainda, em 2015, o Hospital teve rescisórias trabalhistas no valor de R$ 2 milhões, em função de DEMISSÕES injustificáveis, patrocinadas por um Superintendente indicado pelo Município. Graças ao PROSUS (pagamento de débitos tributários com descontos), as despesas financeiras tiveram uma redução de R$4 milhões e AINDA ASSIM o Hospital fechou o ano com PREJUÍZO DE R$7,5 milhões. A situação operacional do Hospital Nossa Senhora das Graças é DRAMÁTICA, observando-se falta de medicamentos, lençóis, produtos de limpeza, talheres para o refeitório, etc. CONCLUSÃO: tudo isso demonstra que a presença da Prefeitura foi um equívoco para o Graças.