Pesquisador da Ulbra descobre novo tipo de roedor

O professor do Museu da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), Alexandre Christoff, em conjunto com pesquisadores da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) e da Universidade de Brasília (UnB), revelou recentemente a descoberta de uma nova espécie de roedor. Batizado de Juliomys ximenezi, em homenagem a um dos pioneiros da mastozoologia sul-americana, o uruguaio Juan Alfredo Ximenezi Trianón, o roedor de aproximadamente 9 centímetros de comprimento foi encontrado há cerca de oito anos, no Parque Nacional Aparados da Serra, reserva ambiental localizada próxima ao município de Cambará do Sul, no extremo norte do Rio Grande do Sul.

A descoberta foi oficialmente reconhecida pela comunidade científica internacional, em 19 de maio deste ano, através da publicação online de um artigo na página do Journal of Mammology, periódico que é referência mundial no estudo de mamíferos. Fruto de uma minuciosa investigação, a catalogação da nova espécie se deu por meio de uma série de análises comparativas do DNA, dentição e anatomia do crânio do Ximenezi em relação ao de outros exemplares do gênero Juliomys. Conforme Christoff, o achado comprova que a biodiversidade gaúcha é ainda mais rica do que supunha a ciência. “Encontrar um animal desconhecido permite reavaliar a visão que especialistas têm do ecossistema encontrado no bioma da Mata Atlântica. Neste sentido, ainda é possível fazer muitas contribuições para os diferentes gêneros de mamíferos da América do Sul”, avalia o cientista.