Pré-candidatos visitam a redação do jornal Timoneiro

 

Na última semana a equipe de reportagem do jornal Timoneiro recebeu a visita de Gerson Luís da Silva, pré-candidato a deputado federal, e de Julio Freitas, pré-candidato a deputado estadual. Ambos têm suas pré-candidaturas abrigadas pela Rede Sustentabilidade, embora não sejam consideradas candidaturas do partido, e sim as chamadas candidaturas cívicas.

Gerson Luís da Silva e Julio Freitas são ligados ao Movimento Negro Republicano, um movimento apolítico, onde desenvolvem trabalhos sociais em todo o Rio Grande do Sul. Ambos atuaram juntos na criação do Troféu da Consciência Negra, entregue anualmente no dia 21 de novembro, quando se comemora o Dia da Consciência Negra. “Temos a consciência de que embora sejamos independentes, temos que respeitar os preceitos básicos da Rede. O partido não nos força a adotar todas as diretrizes do seu estatuto, mas logicamente temos que defender ideias que não vão ferir o que o partido acredita e seus preceitos éticos”, disse Gerson.

Os pré-candidatos falaram sobre suas propostas, ambas totalmente alinhadas com a defesa dos direitos da população negra. “Temos que lutar por uma saúde de qualidade, representar justamente as comunidades que compõem o movimento que representamos dentro da sociedade”, disse Julio.

Para ambos, o movimento negro deve ser independente de cor da pele, deve ser um movimento social. Eles afirmam que a ideia de movimento negro não pode ser um movimento separatista e sim algo da sociedade. O Troféu da Consciência Negra, criado por eles, não homenageia apenas negros, pois acreditam que o que faz diferença é o empenho e a função social pela causa, e não apenas a cor da pele.

A Rede Sustentabilidade é o único partido que oferece até 30% do total de vagas nas eleições proporcionais para candidaturas “cívicas independentes”, que são oferecidas à sociedade para cidadãos que não são tradicionais filiados do partido. O interessado pela candidatura “cívica independente” tem que ser ficha limpa. Estas candidaturas são destinadas a pessoas que não se consideram integrantes de nenhum partido, mas terão que se filiar à Rede para que possam concorrer. No entanto, estes candidatos, se eleitos como independentes, não precisam seguir todo o estatuto.