Prédios da Morada Cidadã apresentam condições precárias

Moradores do Condomínio Morada Cidadã, no Bairro Fátima, procuraram o Jornal O Timoneiro durante a última semana para denunciar a atual situação dos prédios do bairro. A equipe de reportagem, em visita ao local, encontrou diversos pontos com rachaduras e infiltrações. Além disso, alguns prédios também possuem locais destelhados.

“Moro aqui há 7 anos. Tenho medo de que tudo caia em cima da gente”, afirma uma das moradoras do local. Ela conta que os vizinhos chegam a descer para o corredor com medo quando há ventania. Outro problema é a infiltração. Os moradores contam que a água entra pelas falhas na estrutura e escorre pelas paredes e pelo sistema elétrico. “Quando chove a água desce até pelas escadas. Já desistimos de reclamar na prefeitura nos últimos anos”, afirma Pedro Tadeu Arce do Nascimento.

Telhas

Franciele Silva afirma que já trocou as telhas de parte da casa dela. “Infiltrava muita água desde janeiro deste ano. Quando chove a água corre em todos os apartamentos . É muito ruim por que estraga tudo”, relata. É o mesmo problema pelo qual passa Dineusa Aguirre: “Quando chove é de aparar de balde”. Ele conta que devido a isso, o gesso já esta cedendo.

Reivindicações

Um dos líderes comunitários da Morada Cidadã, Cristiano Paim de Souza, afirma que as reclamações por falta de estrutura já ocorrem desde o governo de Jairo Jorge, quando os condomínios foram entregues para uso. Porém, o problema nunca foi resolvido. Segundo ele, a atual administração também já foi informada sobre a situação. “Já mandamos oficio para Prefeitura. Já fomos até lá”, disse.

O que diz a Caixa

Em nota, a Caixa Econômica Federal informa que” não foram identificados vícios construtivos no Condomínio Morada Cidadã. A Caixa esclarece, ainda, que problemas provenientes de eventos climáticos são de responsabilidade do condomínio e de seus moradores, assim como a execução das manutenções periódicas. A Caixa possui o canal de atendimento ao cliente “Programa de Olho na Qualidade”, por meio do telefone 0800-721-6268, para esclarecimentos e eventuais solicitações e reclamações.”

O que diz a Prefeitura

Em nota, a Prefeitura afirma que a responsabilidade pela fiscalização da estrutura do condomínio é da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SMDUH). De acordo com a nota, conforme laudos técnicos de Inspeção Predial, realizados em março de 2015 por uma empresa técnica especializada contratada pela Prefeitura Municipal de Canoas, foi constatado que as edificações não apresentam riscos estruturais. “Porém, a atual gestão entende que são necessários diversos reparos, principalmente na cobertura, na rede elétrica e rede hidrossanitária.”A Prefeitura ainda afirma que, inicialmente, a SMDUH está atualizando os laudos técnicos apresentados. “Também será realizada uma visita ao local para a averiguação e levantamento da situação atual dos danos. Após esse diagnóstico, será encaminhada a contratação das reformas necessárias.”