Projeto “Cavalo de lata” começa a ser implantado na cidade

A Prefeitura de Canoas está cadastrando carroceiros para participarem do projeto “Cavalo de Lata” na cidade. A proposta, de acordo com o governo municipal, começará a ser implementada neste mês e tem o objetivo de tirar de circulação as carroças de tração animal, as quais serão substituídas por triciclos movidos pela força humana. O Executivo municipal estuda futuramente adotar um modelo de veículo com tração mecânica.

O prefeito Luiz Carlos Busato (PTB) reforça que o projeto visa coibir os maus-tratos aos animais sem prejudicar as famílias que vivem da reciclagem. “É inadmissível que ainda hoje se use um animal como escravo para puxar uma carroça. Nossa preocupação é com os maus-tratos aos cavalos, mas também pensamos na questão social, queremos reencaminhar a fonte de renda das famílias que trabalham com as carroças. Por isso, estamos cadastrando os carroceiros da cidade”, destacou.

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social (SMDS) está realizando o cadastro dos carroceiros que atuam no Centro, por onde o projeto “Cavalo de Lata” vai iniciar. Os carroceiros de outras regiões também deverão procurar o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) mais próximo de sua residência para fazer a inscrição no Cadastro Único do Governo Federal. O reciclador deve fazer o cadastro e informar que está interessado em participar do projeto. A inscrição será um pré-requisito para o recebimento do cavalo de lata.

De acordo com a Prefeitura, a extinção das carroças iniciará com dez triciclos adquiridos pela Secretaria do Meio Ambiente por meio de um Termo de Compensação Vegetal (TCV), que é um compromisso ambiental assumido por um empreendedor como forma de compensar a retirada de vegetação no município. Os carroceiros serão capacitados pelas secretarias do Meio Ambiente e Desenvolvimento Social, já que a substituição da tração animal pelo cavalo de lata alterará o sistema de coleta seletiva no Centro.