Quem são os indígenas que vendem artesanato no Centro?

Simone Dutra

Quem passa pelos centros das capitais de todo o país, encontra comumente entre o agito de centenas de transeuntes e a arquitetura comercial a presença dos indígenas que buscam os núcleos urbanos para a venda de artesanato. Em Canoas, isto não é diferente. Um grupo de índios guaranis decora semanalmente as calçadas da cidade com seus balaios e peças confeccionadas de madeira.

A artesã Santa, 45 anos, é uma destas conhecidas personagens. Ao lado de dois dos quatro filhos menores de idade, entre eles um bebê de cinco meses, ela conta que apesar das condições aparentemente precárias de trabalho, gosta da rotina. Quando questionada a respeito da possibilidade de um auxílio dos municípios, a índia diz que não se sente desamparada e tampouco espera ajuda de alguém.

Com dificuldade para se comunicar em português e bastante tímida, ela sorriu ao falar sobre a aldeia em que vive com outras famílias na Barra do Ribeiro, a cerca de 69 km de Canoas, trajeto que faz a pé e de trem.
Atualmente à margem da sociedade moderna, Santa é um exemplo de resistência e da dedicação de um povo que se recusa a ser ignorado.

Vida na aldeia

Na Barra do Ribeiro as tarefas são divididas. Lá as famílias plantam aipim e milho, além da atividade de pesca para alimentação. Os homens da tribo, segundo ela, vão para os briques de Porto Alegre, tentar comercializar os artefatos produzidos pela comunidade.

Os guaranis

Os indígenas guaranis viviam nas terras onde hoje é o Rio Grande do Sul antes ainda da chegada dos europeus, e povoavam o litoral e a parte central até a fronteira com a Argentina. Ainda que pioneiros de algumas regiões, a inversão de papeis ganhou muita força por conta do poder econômico de quem chegava e fazia colônia, e facilmente eles se tornaram visitantes de sua própria terra.
Segundo a última pesquisa realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), os cerca de 900 mil índios existentes, urbanos ou do campo, fazem do Brasil um dos países com maior diversidade sociocultural do planeta.