Ranolfo Vieira Júnior promete foco na Segurança Pública

O jornal Timoneiro, cumprindo seu papel democrático, inicia uma série de entrevistas com os pré-candidatos ao governo do Estado do Rio Grande do Sul. O objetivo da ação é proporcionar ao leitor as informações necessárias para avaliar cada postulante ao cargo máximo do executivo estadual. Iniciando este processo, a reportagem recebeu o delegado Ranolfo Vieira Júnior (PTB), na quarta-feira, 11.

Nome à disposição

Ranolfo conta que o início das articulações em torno de seu nome começaram no ano passado. “Eu já refletia muito a respeito dessa missão que é governar o Estado. Foi com esse propósito, de missão, que acabei aceitando esse encargo do nosso partido”, conta o delegado e ex-secretário de Segurança Pública de Canoas.

Segurança

“Essa é a minha área de origem”, explica Ranolfo. Delegado da Polícia Civil, ele conta que dirigiu regiões policiais importantes no Estado. De acordo com ele, a situação da Segurança Pública deve ter trato diferenciado. “Essa área tem sido a mais reclamada por toda a sociedade, temos que ter um trabalho diferente”. Vieira Júnior baseia seu trabalho em pilares como a integração, inteligência e o investimento. Ele também aponta problemas no sistema penitenciário do Estado: “Esse sistema não recupera ninguém. Falta planejamento”, afirma Ranolfo, que ainda defende a criação de pequenas casas penitenciárias, com no máximo 500 vagas, em diversos pontos da região. O ex-secretário também critica o tamanho da Penitenciária de Canoas (Pecan): “A curto e médio prazo, a capacidade máxima vai extrapolar e muito. E quem vai sofrer com isso é a comunidade de Canoas”, concluiu.

Contas do Estado

O pré-candidato afirma que não tem dúvidas quanto à necessidade da renegociação dá dívida do Estado com a União, para equilibrar as contas do Governo. No entanto, Ranolfo aponta que tal ação não pode ocorrer com as atuais condições impostas. Vieira Júnior defende uma auditoria sobre o assunto e convoca uma demonstração de força política do Estado com relação à União. Ainda, Ranolfo ressalta que é totalmente contrário ao aumento de impostos.

Salários

Dentro da lógica do equilíbrio de contas, Ranolfo citou a situação desgastante da atual administração estadual, que tem atrasado o pagamento de salários. “A cada fim de mês é um sofrimento para os servidores públicos. O Estado tem que dar um basta nisso. Tem que haver mais diálogo. Não podemos manter o estado em que as coisas se encontram nesse momento”, afirma.

Contexto político

O delegado afirma que nunca havia passado por um momento semelhante ao que estamos vivenciando no Brasil atualmente. “A operação Lava Jato descortinou a questão da corrupção no Brasil”, afirma. Ranolfo ainda afirma que as instituições estão dando respostas adequadas para o momento e que essa abertura deve ser seguida por maior consciência eleitoral por parte da população, nas eleições de outubro: “As pessoas têm que pesquisar mais sobre os candidatos, para que assim possamos, efetivamente, evoluir para um país melhor”.

O pré-candidato ao governo do Estado do Rio Grande do Sul, indicado pelo PTB, Ranolfo Vieira Júnior, é ex-chefe de Polícia do Estado (2011 a 2014). Ele é formado em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), com especialização em Gestão de Segurança na Sociedade Democrática pela ULBRA, e Delegado de Polícia desde 1998.