Ruas do Harmonia sofrem com vazamentos de canos da Corsan

corsan (1)
Marcelo Grisa
marcelogrisa@gmail.com

As ruas do bairro Harmonia, como muitos dos espaços mais residenciais de Canoas, convivem com problemas estruturais. Um deles é causado pelos problemas com a rede de água da Corsan, que ainda é antiga em muitas ruas periféricas. Os constantes vazamentos causam danos, desperdiçam água e causam períodos sem abastecimento nas áreas afetadas até o devido conserto.

Transtorno constante

É um processo que começa devagar, com a água subindo cedo do dia, formando pequenas poças que somem ainda pela manhã. Essa água, que vaza dos canos afetados, volta para dentro da terra e movimenta o solo. Assim, quando finalmente a tubulação da Corsan termina de estourar, há um grande buraco a ser aberto para consertar a rua.

“É uma coisa que se repete com todos os vizinhos. Tem gente que já teve a frente de casa cheia d’água duas, três vezes”, explica Rosângela Moura da Silveira, moradora da Rua Coronel Camisão. A demora nos consertos preocupa Rosângela, que tem um serviço de banho e tosa e, portanto, precisa de água para trabalhar. “Eu já pago duas taxas por conta da empresa. Quando estourou da última vez aqui no vizinho, a vizinhança inteira ligou durante quatro dias até virem resolver”, aponta.
Atualmente, a próxima casa a ser afetada é a de Athayde Andrade, de 84 anos. Morador do Harmonia há 62 anos, ele presencia a formação das poças em frente à sua casa há pelo menos um mês. “Os vizinhos já ligaram, e eu fui pessoalmente lá reclamar para a Corsan. Eu fico apavorado com o que vai de água fora!”

É possível ver, por toda a rua, várias marcas quadradas – resultado dos procedimentos de manutenção e recapeamento do asfalto. Até mesmo próximo à Unidade de Pronto Atendimento da Coronel Camisão é possível detectar os remendos. Ao andar pelo asfalto por ela e várias outras ruas periféricas é possível perceber o desnível constante do pavimento. “Eles alegam que só vêm para fazer manutenção. Ou seja, quando estoura tudo.

Nada de trocar tudo, o que resolveria. Enquanto isso, passa ônibus aqui todo dia. Não seria o caso de, no mínimo, limitarem o peso aqui?” indaga Rosângela.

Moradores e comércio afetados

Um dos principais cruzamentos no bairro Harmonia, para quem vem do Centro, é o entroncamento entre as ruas Saldanha da Gama e José Maia Filho. Ali, apesar de a tubulação principal já ter sido trocada por quase toda a extensão da via, há um ponto que precisa ser aberto para consertos de duas a três vezes por ano.

Por conta da concentração de estabelecimentos no local, cada procedimento em relação ao tema causa transtornos para os comerciantes. “Além da falta de água, claro, ainda tem essa parte do transtorno, porque tumultua muito o fluxo de veículos. Quando abrem o buraco, ficam muito tempo ali. Sobe muita poeira, muita sujeira”, argumenta o professor de caratê Valmir Teles.