Segurança Pública: Cidade registra semana com ocorrências violentas

O ano começou, de acordo com as autoridades municipais, registrando bons números em temos de segurança pública, comparado com os dados de 2017. Mesmo assim, os canoenses ficaram preocupados, na última semana, com ocorrências violentas na cidade. Os fatos com maior repercussão foram um assalto a uma agência da Caixa Econômica Federal e um roubo a carro que acabou com uma pessoa esfaqueada e encaminhada ao HPS. O jornal Timoneiro, diante deste contexto, falou com autoridades municipais sobre estes acontecimentos e sobre o planejamento prevenção de novas ocorrências.

Ranolfo

O secretário de Segurança Pública e Cidadania do município, Ranolfo Vieira, em contato com a reportagem, afirma que os acontecimentos chamaram a atenção da pasta. Ele ressaltou que o     principal foco é a vida humana, e que a polícia está investigando os dois casos. No caso da Caixa, a Polícia Federal está no comando. Mesmo com essa situação, Ranolfo destaca que a cidade tem registrado bons números com relação ao mesmo período, em 2017. Nos primeiros 50 dias do ano, Ranolfo afirma que houve uma redução de 42 % no roubo de veículos na cidade. Os furtos de veículos tiveram redução de 24 % e os homicídios redução de 30 %. “São números que nos tranquilizam, por que mostram que estamos no caminho certo”, completa o secretário.

Santana

Identificado com a Segurança Pública e eleito tendo como base uma campanha nesta área, o vereador Sargento Santana (PTB) também atendeu a reportagem do jornal para falar sobre os últimos casos na cidade. Para ele, as ocorrências estão fora do contexto atual que vive a cidade: “Canoas é tão violenta quanto outras cidades. Comparada com outros lugares, é até tranquila”, afirma. Sobre o assalto à agência da Caixa, Santana pondera que não havia modo de prever o ocorrido. O vereador reforça que a cidade vive bom momento com relação à segurança e pede tranquilidade: “O canoense pode se sentir privilegiado. Não podemos definir a situação só nesses casos”. Mesmo assim, Santana afirma que a prevenção deve ser aprimorada através de investimentos: “Temos que estar sempre um passo à frente. Não adianta dizer que não vai acontecer mais, tanto é que aconteceu. Temos que ter investimento para prevenir cada vez mais”, completa.