Vereadores se reúnem para tratar da comissão de bem-estar animal

1494968536931

Encontro ocorreu na tarde de terça-feira, 16, na câmara municipal Foto: Felipe Figueiró

A Comissão de Bem-Estar Animal de Canoas se reuniu, na tarde desta terça-feira, 16, na Câmara Municipal. O encontro teve o objetivo de tratar da composição da comissão, da criação do conselho de bem-estar animal (Combea), do fundo de bem-estar animal (Funbea), da alteração da lei 4266 de 1998 e a redução do prazo de oito, para quatro anos, na lei 6044 de 2016, que prevê o fim gradativo e irreversível das carroças em Canoas.

Os presentes discutiram a alteração da lei municipal 4266/98, que dispõe sobre o controle e proteção de populações animais, bem como sobre a prevenção de zoonoses na cidade. A ideia proposta pelo presidente da comissão, Cris Moraes (PV), é a alteração completa da lei, atualizando-a aos termos de hoje. As propostas de atualização feitas são a remoção do termo “depósito de animais”, e a parte que permite o “descarte de animais indesejados”. Para Cris Moraes, a lei precisa ser revista: “a lei prevê que o animal seja descartado como lixo, num depósito de animais que na época, era administrado pelo executivo da cidade e o controle de animais era feito por meio de eutanásia, sem motivo algum.”.

Já, na pauta sobre a diminuição do prazo das carroças em Canoas, o voto a favor da redução foi unânime nos presentes na reunião. Conforme o presidente da comissão, Cris, o principal objeto de proteção da lei é o cavalo: “conforme me comprometi anteriormente, buscaria a redução do prazo para o fim das carroças, de oito, para quatro anos.

Os vereadores Paulinho de Odé (PT), César Augusto (PRB), Link (PMDB) e Claudino Canhoto (SD) também participaram da reunião.